Tecnologia Assistiva: Uma definição

As tecnologias de acesso, conceituada por Galvão e Damasceno (2000), como Tecnologia Assistiva (TA), cujo conceito designa toda e qualquer ferramenta ou recurso utilizado com a finalidade de proporcionar uma maior independência e autonomia a pessoa portadora de deficiência. O Comitê de Ajudas Técnicas (CAT) aprovou por unanimidade, em sua Reunião VII, de dezembro de 2007, a adoção da seguinte formulação para o conceito de Tecnologia Assistiva: Tecnologia Assistiva é uma área do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias, estratégias, práticas e serviços que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e participação de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua autonomia, independência, qualidade de vida e inclusão social. [7].
No entanto, vários estudos alertam que o uso dos recursos da Tecnologia Assistiva no Brasil ainda é muito restrito. Apontam como principais motivos a falta de conhecimento do público em geral, falta de orientação aos usuários, alto custo de certos elementos da Tecnologia Assistiva, carência de produtos no mercado e falta de financiamento para pesquisa; de forma que pouco adianta o país ter uma legislação evoluída que garanta o acesso a serviços de reabilitação e recursos de TA, se esta mesma lei permanece desconhecida ou ignorada pelo próprio Estado e pela sociedade em geral [13].
Na área educacional a Tecnologia Assistiva vem se tornando, cada vez mais, uma ponte para abertura de novo horizonte nos processos de aprendizagem e desenvolvimento de alunos com deficiências até bastante severas [9]. Como faz notar Bersch, “a aplicação da Tecnologia Assistiva na educação vai além de simplesmente auxiliar o aluno a ‘fazer’ tarefas pretendidas. Nela, encontramos meios de o aluno ‘ser’ e atuar de forma construtiva no seu processo de desenvolvimento” [8]. Sem uma tecnologia de acesso adequada, os deficientes visuais podem ficar gravemente limitados quanto à quantidade e a qualidade das informações que podem acessar o que inibe, ou até mesmo impossibilita que eles utilizem plenamente as potencialidades deste meio de comunicação [15]. As Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), nas quais as tecnologias assistivas fazem parte, vêm se tornando, de forma crescente, importantes instrumentos de nossa cultura e, sua utilização, um meio concreto de inclusão e interação no mundo e mais, seu uso implica em novas formas de pensar [10].
Fonte:
7. CAT, 2007. Ata da Reunião VII, de dezembro de 2007, Comitê de Ajudas Técnicas, Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (CORDE/SEDH/PR).
10. LEVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo, Ed. 34, 1999.
13. Poletto, C. 2009. Sociabilidade Virtual para Deficientes Visuais: Verdade ou Utopia?
15. RODRIGUES, A. dos S.; G. L. SOUZA FILHO; J.A. BORGES. Acessibilidade na Internet para Deficientes Visuais.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s