Quem é a superbactéria?


A superbactéria é uma bactéria multirresistente que circula no ambiente hospitalar. Logo após a epidemia da Gripe A (por H1N1) a notícia de uma superbactéria que é resistente a 90% dos antibióticos, assustam pessoas que precisam se submeter a cirurgias e internações. Um grupo de cientistas chamou a atenção para o isolamento de um gene (NDM-1) em dois tipos comuns de bactérias – Klebsiella pneumoniae e Escherichia coli (E.coli). Essa mutação é responsável por tornar as duas bactérias resistentes aos principais grupos de antibióticos, os carbapenens – normalmente utilizados como última tentativa em tratamentos de emergência em pacientes em que os antibióticos não fazem mais efeito (veja.abril.com.br). A ANVISA reagiu publicando duas novas normas que previnem a infecção pela KPC: As instituições de saúde – públicas e privadas – coloquem a solução alcoólica (70%) em gel à disposição de pacientes, médicos, funcionários, profissionais de saúde e visitantes destes locais, para que possam fazer a higienização das mãos e a obrigatoriedade da retenção de receitas de antibióticos pelas farmácias, o prazo é de 30 dias. A KPC pode ser controlada com medidas simples mas pode ser fatal se não for trata em tempo (www.brasil.gov.br). Até meados de novembro de 2010, 198 casos tinham sido notificados, com 22 mortes confirmadas somente em Brasília. Em outras regiões do Brasil também foram notificadas mortes pela superbactéria: Pernambuco e Mato Grosso, em que foram fechadas duas UTIs em janeiro de 2011.
Tratamento: Há poucos antibióticos disponíveis e eficientes, o principal deles, que age contra a KPC, é a polimixina; que só pode ser deve ser prescrito por um médico.
Sintomas: São normais de uma infecção: febre; dores na bexiga (se for o caso de uma infecção urinária); tosse (se for uma infecção respiratória). Os casos de infecções mais leves são as que atingem o sistema urinário, mas os mais graves são pneumonias, que podem levar à morte(www.not1.com.br).
Fonte da imagem: http://saude.culturamix.com/noticias/descoberta-super-bacteria-perigosa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s